| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Da Vinha ao Copo

01/10/2005

José Pedro Salema

Rastreabilidade é um conceito muito em voga na fileira agro-alimentar mas que ainda está longe de ser uma realidade na maioria das empresas. De facto, todos os agentes envolvidos na produção de bens para consumo humano são obrigados desde o inicio de 2005 a conseguir identificar a origem e forma de produção de todos os seus produtos.

Para conseguir este conhecimento da realidade de cada empresa é necessário que cada agente implemente formas de registo de informação eficazes e que não sacrifiquem a eficiência do seu normal funcionamento. O recurso à informática é sem dúvida o caminho a seguir, já que permite, a baixos custos, estruturar, classificar, consultar e processar informação que pode também ser utilizada com objectivos de gestão.

O processo produtivo das adegas está longe de ser linear, logo essa necessidade de organização é ainda mais agudizada. Enólogos, vitivinicultores e adegueiros precisam conhecer instantaneamente stocks, registar e consultar toda a complexa actividade quotidiana duma adega (análises, enchimentos, loteamentos, ou tratamentos enológicos).

Paralelamente os gestores destas empresas precisam conhecera situação económica global bem como a de cada unidade de negócio. Para estes é essencial a determinação de indicadores como o volume de vendas por produto ou cliente ou a margem líquida de cada vinho.

Existem actualmente ferramentas integrada de gestão de adegas como o ENOGESTÃO que permitem responder com facilidade a estas exigências requerendo pequenos investimentos em equipamento (vulgar computador pessoal) e formação (5 a 10 dias). Esta solução permite a rastreabilidade completa de cada vinho desde a garrafa até ao talhão da vinha que lhe deu origem de forma extremamente fácil, ou determinar, por exemplo, o custo exacto de cada garrafa produzida.

Empresas como a Quinta do Vale Meão, Fundação Eugénio de Almeida, Herdade da Malhadinha Nova, Casa de Santa Vitória e a Sociedade Agrícola Lagoalva de Cima, já podem consultar de forma imediata, todo o percurso produtivo dos vinhos que colocam no mercado, garantindo assim um importante requisito da segurança alimentar.

 

 

Voltar