| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

GENESIS, uma ferramenta essencial para a produção moderna

01/08/2004

Resultante de uma parceria entre o Instituto Superior de Agronomia (ISA), o Instituto Superior Técnico e as empresas ConsulAI e FZ AGROGESTÃO, o GENESIS é um sistema integrado que abrange toda a cadeia de abastecimento, permitindo ao produtor elaborar os seus cadernos de campo e controlar a entrada dos produtos na unidade industrial até à sua expedição para comercialização. O Professor Luís Mira da Silva, do ISA, e Carlos Ferreira, sócio do Clube de Produtores (CP) e proprietário de uma solução GENESIS, conversaram sobre esta nova ferramenta tecnológica e as suas vantagens para o sector.

 

Luís Mira da Silva (LMS) – O que o levou a adquirir o GENESIS?

Carlos Ferreira (CF) – Essencialmente a necessidade de estar actualizado e de ser competitivo. Este sistema melhora a gestão da produção, controlando facilmente os produtos utilizados em cada cultura – ou em cada parcela – e os respectivos custos.

Por outro lado, o programa responde às actuais exigências de qualidade e segurança alimentar.

 

LMS – Como é que o sistema melhora o controlo da informação referente à produção?

CF – Actualmente registo a informação em papel, o que torna a sua utilização muito difícil.

Com o GENESIS posso ter registos no computador de todos os produtos que aplico, como os fitofármacos e os fertilizantes, controlando exactamente o que fiz, quando fiz, e como o fiz. Além disso, posso acompanhar de forma mais eficiente a previsão das produções, o que permite planear melhor as colheitas. O sistema possibilita também identificar alguns problemas que, por falta de informação, anteriormente passavam despercebidos.

 

LMS – Quais os benefícios que o sistema traz para o cliente e para o consumidor final?

CF – A competitividade é cada vez maior, por isso há que melhorar sempre e satisfazer o cliente directo - neste caso o CP - e o consumidor final. Nos últimos anos, o Clube tem feito um esforço para se implantar como uma marca, e, como tal, os forn e c e d o res têm de acompanhar esse empenho. A tendência actual no sector passa por aumentar a aproximação entre os forn e c e d o res e os clientes, o que implica uma troca de informação cada vez

maior e uma transparência total. A utilização do sistema GENESIS vem claramente neste sentido.

 

LMS – No que diz respeito aos sistemas de certificação, como a Protecção Integrada ou o Eurepgap, acha que o GENESIS poderá ser útil?

CF – Não tenho dúvidas. A Cooperativa Agrícola de Santarém acompanha várias culturas que produzimos no sistema de P rotecção Integrada, o que nos obriga a ter um sistema que permita guardar e utilizar facilmente toda a informação. Os registos em papel são claramente insuficientes.

Portanto, é fundamental ter a informação acessível e actualizada.

 

LMS – Sente-se preparado para enfrentar as dificuldades ou custos acrescidos resultantes da introdução do sistema?

CF – O custo do programa praticamente não tem significado. Numa fase inicial, espero algumas dificuldades na sua utilização diária. Posteriormente,

a utilização do programa terá alguns custos, mas os benefícios serão claramente superiores. Acredito que toda a gestão do dia-a-dia será mais fácil, sobretudo no que diz respeito às regas, fertilizações e aplicações de fitofármacos.

 

LMS – Considera então que fez uma boa aposta…

CF – É o caminho a seguir. A competitividade é cada vez maior e a pressão dos consumidores, dos clientes e mesmo da legislação obriga a uma constante actualização. Hoje em dia é necessário produzir com qualidade. Caso contrário, o futuro não será nada fácil. 

 

 

Voltar