| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Terei dinheiro na conta para pagar? - Plano de tesouraria

20/08/2008

José Manuel encontra o seu antigo vizinho de Lisboa, o Sr. Xavier, que desde que se reformou que se dedica à agricultura. No momento o Sr. Xavier planeia a actividade da exploração para o ano agrícola a começar, em particular o seu orçamento de Tesouraria. Ou seja, tenta perceber, de forma escalonada, se em cada mês ao longo do próximo ano terá dinheiro disponível para efectuar os pagamentos a que a sua actividade o obriga. Apresentamos a conversa a partir do momento em que o Sr. Xavier começou:

 

Francisco Gomes da Silva, Carlos Pedro Trindade, Frederico Avillez, José Pedro Salema, Luís Pereira

 

- Bom... ando aqui à volta do plano de tesouraria, para me assegurar que terei dinheiro, em cada mês, para fazer face à despesas. Já consegui determinar, para os diversos meses do ano, os valores que terei a receber e a pagar, se for tudo a pronto pagamento. Mas não consigo sair daqui...

- Ora bem, Sr. Xavier... vamos lá a ver... mostre lá essa lista de recebimentos e pagamentos que prevê.

- Cá está, tudo bem organizado numa tabela... Considerei que o dinheiro que tenho no banco no final do mês de Setembro de 2008, 15000€ é um recebimento deste ano para o próximo, de modo a que entre nas contas.

- Muito bem vamos lá ver isso.

 

 

- Muito bem, Sr. Xavier, já tem tudo muito adiantado. Agora precisamos de calcular saldos. Assim:

- Hmmm...Pois, como eu receava temos problemas. Logo a partir do mês de Dezembro de 2008 e até ao mês de Agosto de 2009 atinjo um saldo acumulado inferior ao limite crítico de 2000 Euros que defini.

- Verdade Sr. Xavier. Mas repare que o saldo acumulado ao longo do ano, no valor de 21455 Euros é, não só francamente positivo, mas maior do que o saldo que tinha no início do ano.

- Tens razão. Então, se consigo fazer com que a minha exploração gere esse saldo ao longo do ano, significa que poderei encontrar forma de corrigir o problema dos saldos negativos...

- Ora bem. Antes do mais vamos lá tentar apurar de quanto necessitaria em cada um dos meses para garantir o saldo acumulado mensal mínimo de 2000 Euros.

 

 

- Mas como calculaste as “necessidades” de cada mês?

- Simples, Sr. Xavier. O que o senhor quer é garantir que a soma do saldo do mês com o saldo acumulado corrigido do mês anterior seja, no mínimo, igual a 2000 Euros, certo? Ou seja:

Necessidades mês n > 2000 – (Saldo acumulado corrigido mês n-1 + Saldo mês n)

- Ahhh!! Estou a perceber! Posso então calcular o saldo acumulado corrigido do mês n, somando ao saldo acumulado corrigido do mês anterior (n-1) o saldo no mês n e a necessidade que acabaste de calcular!

Saldo acumulado corrigido mês n = Saldo acumulado corrigido mês n-1 + Saldo mês n + Necessidades mês n

- Nem mais! E, como pode verificar, o saldo no final do mês de Setembro é muitíssimo alto, uma vez que provocámos “entradas” entre Dezembro e Agosto, sem as devidas contrapartidas, isto é sem devolver o dinheiro que nesses meses fizemos entrar. Esse é o passo seguinte: de onde vêm os fundo necessários em cada mês, e como serão devolvidos. Segue o meu raciocínio?

- Sim, claro. Continua José Manuel!

- Bom o próximo passo é perceber como suprimos as necessidades de tesouraria e como contabilizamos todos os efeitos que isso possa trazer. Mas fazemos aqui uma pausa e continuamos depois...

 

Todos os direitos reservados ao gestor fo programa AGRO

 

 

 

Voltar