| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Portugal - A minha primeira escolha

[ 30/06/2011 ]

"Portugal. A Minha Primeira Escolha" é a campanha da Associação Empresarial de Portugal (AEP) que aposta na valorização da oferta nacional. A campanha está activa desde Abril do ano passado e "mais de 75% das empresas" que aderiram dizem ter sentido um efeito positivo nas suas vendas. “Entre Abril de 2010 e Junho de 2011, a campanha de valorização dos produtos e marcas que geram valor acrescentado em Portugal, “Portugal. A Minha Primeira Escolha”, promoveu a imagem de um país moderno, inovador e orientado para o mercado global”, declara o comunicado da AEP.

A referida campanha é co-financiada pela AEP e pelo QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), e envolveu um investimento de 1,8 milhões de euros. Os resultados da campanha foram “animadores”, uma vez que mais de 75% das empresas “confirmam que o facto de participarem neste programa teve um efeito positivo nas vendas dos seus produtos”, acrescenta o comunicado da AEP.

 

A campanha irá decorrer até ao fim do ano e segue-se à iniciativa “Compro o que é nosso”, que foi lançada em Outubro de 2006. Na actual campanha, “o foco são os cidadãos e as suas opções de consumo, levando-os a interiorizar a ideia de que Portugal sabe e faz tão bem como os melhores”, revela a associação.

 

“Se a primeira escolha de cada consumidor português incorporar essa ideia que puxa por Portugal, então ganharemos todos: consumidores, empresas e trabalhadores. O nosso futuro e a ultrapassagem da crise económica passa, afinal, por uma escolha permanente do que sabemos fazer e leva a nossa marca”, afirma o Conselho de Administração da AEP no seu site.

 

“A AEP confia que uma auto-estima colectiva positiva pode ajudar o País a ultrapassar mais facilmente a crise. Em tempo de tantas escolhas como o actual, a resposta passa pelos portugueses pensarem em Portugal e escolherem Portugal. Porque Portugal dá garantias de produzir com qualidade e merece ser uma primeira escolha!”, acrescenta o mesmo.

 

FONTE: Jornal de Negócios

 

 

Voltar