| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Casa de Santa Vitória - Prova de Destino

[ 06/03/2009 ]

A Casa de Santa Vitória, [Cliente de referência ENOGESTÃO], foi eleita como Destino de Prova na edição de Fevereiro da Newsletter Chefes de Cozinha.

Com o título Vitória Sulista, o artigo refere que é na pequena vila que dá nome ao projecto do Grupo Vila Galé, que a Casa assentou raízes, desde 1992,  perto da Barragem do Roxo, a 25 km da cidade de Beja.
A produção de azeite e vinho estão na base do investimento cujo motor teve “na paixão pelo campo” a sua origem. A planície alentejana e o ambiente rural tornaram-se o cenário ideal para combinar gastronomia regional, vinho e várias  actividades paralelas nos 1629 hectares de área total da propriedade.
Rodeada pelo Clube de Campo (hotel a 150 m da adega) e pelas herdades Malhada e Figueirinha (onde se localizam as vinhas e o olival), a Casa de Santa Vitória conta neste momento com 127 hectares de vinha plantada e 90 hectares de olival, dando vida a um projecto “ousado e moderno”, segundo Bernardo Cabral, enólogo do projecto, e tem em vista a construção de uma adega de 5.000 m2 articulados em três andares, o que irá permitir aos visitantes acompanhar todo o processo de produção de vinhos e a prova dos mesmos. Da área plantada, 105 ha estão ocupados por castas tintas, com Alfrocheiro, Tinta Caiada, Touriga Nacional, Trincadeira, Aragonêz, Alicante Bouchet, Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah. Nos 22 hectares de castas brancas cultiva-se Antão Vaz, Arinto e Chardonnay. Embora se privilegie as mais recentes tecnologias de vinificação, na Casa de Santa Vitória existe um especial cuidado em preservar a tradição.

Nos melhores vinhos – Super Premium - por exemplo, a vindima é ainda manual, transportando-se os cachos seleccionados em cestos para conservar intactos os bago e não prescindem da pisa a pé, obtendo assim produtos de mais elevada qualidade.

Na adega, a vinificação, controlo de qualidade, estágio e engarrafamento foram alvo de um cuidadoso projecto que pretende proporcionar “uma sedutora viagem” pelo mundo do vinho. Desde o aterro com cerca de 3 metros para a descarga das uvas, à ausência de bombas nada foi deixado ao acaso para manter “um nível máximo de qualidade. Na linha especial existe também um robot “pigaeur”que permite uma extracção intensa, mas suave. A aposta na tecnologia, inclui ainda o sistema “delestage” (para obter o índice máximo de extracção) e a fermentação, na maioria das vezes, acontece em cubas de controlo automático, onde se controlam por computador todas a variáveis do processo de vinificação.
Poderá comprovar os resultados nas referências Versátil branco e tintos, os Casa de Santa Vitória branco, reserva branco, rosé, tinto e reserva tinto e Inevitável tinto.
 
A partir das variedades cordovil, cobrançosa e galega é obtido um azeite virgem extra com 0,3 de acidez e rótulo Casa de Santa Vitória. A propriedade também produz um vinagre com 8 por cento de acidez, “encorpado e de sabor intenso e persistente”, a partir da fermentação de um vinho tinto seleccionado é “rico em taninos, de cor granada”, depois de estagiar 12 meses em barricas de carvalho.

As visitas guiadas incluem visita a adega, à cave, à vinha e provas de vinho: prova standard dois vinhos e prova reserva 3 vinhos), é ainda possível almoçar ou jantar com ou sem prova incluída.

 

Newsletter Chefes de Cozinha - Fevereiro

 

 

Voltar