| EN | This site may be incomplete in respect to the Portuguese version
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Sistemas de Identificação Electrónica de Animais

 

 

 

 

As novas obrigatoriedades legais exigem uma gestão moderna de efectivos pecuários. Seja com Ovinos, Caprinos, Bovinos ou Suínos a identificação electrónica animal é, cada vez mais, incontornável. A AGROGESTÃO, na constante busca pela satisfação dos seus clientes encontrou os instrumentos mais eficazes e eficientes.

 

A AGROGESTÃO comercializa sistemas de Identificação Electrónica de Animais da AllFlex. Um gama completa para a identificação electrónica de animais que inclui os identificadores (brincos e bolos gástricos) e os aparelhos de leitura. O novo bastão é extremamente simples de operar, pode operar no modo de leitura individual ou em contínuo e pode ser exportar toda a informação por conexão sem fios Bluetooth.



 

Brincos                  Bolos                                 Bastão

            

 

Leitor Bastão (Stick Reader) RS 340 - O leitor de bastão Allflex foi concebido para dar mobilidade ao utilizador. São leitores desenhados para suportar as condições adversas de uso no campo.

 

Bastão com mala

 

Leitor Manga ALEIS BMI-PT - Desenhado para leitura de ovellhas em corrida

Desenhado para leitura de ovellhas em corrida, o Aleis PMI-BT vêm com teclas de scroll e visor LCD com tecnologia backlit para facilitar a leitura de um menu completo e registos de leituras anteriores. O PMI-BT tem uma capacidade de memorizar até 100 000 números RFID.

O PMI-BT é alimentado por uma fonte externa de enegia e é construído para suportar as mais duras condições de trabalho. 

   

 

RFID ("Radio Frequency Identification" ou "Identificação por Radiofreqüência") é um método de identificação animal que utiliza um sinal transmitido entre um aparato eletrónico conhecido como “transponder” (brinco eletrónico, bolus intraruminal ou implante subcutaneo) e um aparelho de leitura chamado “transceiver” (leitor ou colector de dados). O aparelho de leitura emite um sinal eletromagnético, que ativa o transponder, e este responde com outro sinal, contendo seu número. O leitor então identifica o número do transponder, e passa esse dado para algum tipo de registro (como por exemplo, uma base de dados), onde estarão guardados outros dados referentes àquele número.

Os Identificadores de RFID (transponders) mais comumente utilizados em animais são "passivos". Eles não possuem baterias ou outra fonte própria de energia. Esses identificadores utilizam a energia transmitida pelos leitores (transceivers) para emitir seu sinal.

 

 

Voltar