| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Herdade da Gambia - Francisco Borba

 

Com uma gestão familiar desde 1918, ano em que foi adquirida pelo Dr. Francisco de Paula Borba, a Herdade da Gambia, situada na península de Setúbal, tem desenvolvido actividades agrícolas, pecuárias e florestais. Ao longo de todos estes anos a fileira florestal tem merecido sempre uma atenção especial das diferentes gerações que tiveram e têm a responsabilidade da sua gestão.

Actualmente, a sua principal preocupação é a prática de uma gestão moderna e disciplinada, apoiada num sistema de informação e análise muito rigorosa. Cláudia Antunes – FZ AGROGESTÃO

A Herdade da Gambia possui 317ha de Montado de Sobro, 116ha de Pinheiro Manso e 27ha de Vinha para produção de vinho. O efectivo pecuário, inicialmente adquirido nos anos 40 com 100 ovelhas de raça Saloia para produção de leite e queijo artesanal, é hoje constituído por 100 vacas de ventre da raça Mertolenga e 220 ovelhas da raça Lacaune para produção de leite. Recentemente foi adquirido um núcleo de ovinos Ile-de-France que se destina à produção de reprodutores, e ao cruzamento industrial com parte do efectivo leiteiro.

Com uma administração exclusivamente familiar, e actualmente assegurada por dois licenciados em ciências agrárias com pelouros diferenciados e hierarquia definida, a aquisição dos programas AGROGESTÃO e ZOOGESTÃO, surgiu com a necessidade de dispôr de sistemas que convertessem a informação contabilística e a informação de campo, em informação clara e rigorosa que possa apoiar as decisões de gestão. Ambos os programas são usados fundamentalmente como programas de gestão. 

Reunindo e introduzindo a informação financeira e a informação recolhida directamente do campo nas diversas actividades, o AGROGESTÃO é assim sustentado de forma a produzir resultados que são maioritariamente analisados nas vertentes económica e técnica. “É com base nestes resultados que é analisada a performance de cada actividade ao longo do ano, o que naturalmente delimita as decisões de gestão. Constitui ainda o substrato principal à elaboração do orçamento anual para cada actividade.” Eng.º Francisco Borba


   

No programa ZOOGESTÃO é processada toda a informação de carácter zootécnico, que engloba o controlo de fertilidade individual e de rebanho para cada um dos efectivos – bovino e ovino -, produtividade de cada fêmea de reprodução, controlo de movimentos internos determinados pelas diferentes fases da vida dos animais, e controlo de movimentos externos – entradas e saídas da exploração. As listagens produzidas, servem de apoio às intervenções de campo, nas suas diversas vertentes de controlo dos efectivos incluindo o sanitário, e são utilizadas na análise global do comportamento de cada um dos efectivos.

“É um instrumento fundamental na selecção animal, uma vez que é a partir dos dados produzidos que a escolha de reprodutores é efectuada.” Eng.º Francisco Borba

Actualmente o AGROGESTÃO é também utilizado por duas outras empresas participadas, uma de prestação de serviços, e por uma outra exploração agrícola na região de Elvas. Estas circunstâncias justificam que, a toda operação que lhes está inerente, esteja a cargo de uma licenciada em gestão.

“Para quem é exigente, quanto a procedimentos e instrumentos de trabalho, estão sempre a surgir necessidades de introdução de novas funcionalidades. A AGROGESTÃO tem correspondido aos nossos pedidos e sugestões nos “up-grades” que tem vindo a efectuar, e o acompanhamento técnico de ambos os programas incluindo a instalação de actualizações é feito diretamente por via telefónica por técnicos da AGROGESTÃO, o que tem funcionado como um relógio suíço.”  Eng.º Francisco Borba – Conta com uma longa experiência profissional no sector agrícola público e privado que dispensa apresentações.



 

 

Voltar