| PT | 
Ir para:    página inicial    |    conteúdo página    |    pesquisa 

Grupo Bacalhôa

 

A Bacalhôa Vinhos de Portugal, S.A., uma das maiores e mais inovadoras empresas vinícolas em Portugal, desenvolveu ao longo dos anos uma vasta gama de vinhos que lhe granjeou uma sólida reputação e a preferência de consumidores nacionais e internacionais. Presente em 7 regiões vitícolas portuguesas, com um total de 1200ha de vinhas, 40 quintas, 40 castas diferentes e 4 centros vínicos (adegas), a empresa distingue-se no mercado pela sua dimensão e pela autonomia em 70% na produção própria. A cada uma das entidades que constituem a Bacalhôa Vinhos de Portugal, S.A. - Aliança Vinhos de Portugal, Quinta do Carmo e Quinta dos Loridos - corresponde um centro de produção com características próprias e um património com intrínseco valor cultural. 

Em 2007 a Bacalhôa tornou-se a maior accionista na Aliança, um dos produtores mais prestigiados nas categorias de espumantes de alta qualidade, aguardentes e vinhos de mesa. No ano seguinte, a empresa comprou a Quinta do Carmo, aumentando assim para 1200ha de vinhas a sua exploração agrícola.

A Bacalhôa dispõe de adegas nas regiões mais importantes de Portugal: Alentejo, Península de Setúbal (Azeitão), Lisboa, Bairrada, Dão e Douro.

Com uma capacidade total de 20 milhões de litros, 15.000 barricas de carvalho e uma área de vinhas em produção de cerca de 1.200 hectares, a Bacalhôa Vinhos de Portugal prossegue a sua aposta na inovação no sector, tendo em vista a criação de vinhos que proporcionem experiências únicas e surpreendentes, com uma elevada qualidade e consistência.

"Temos 4 adegas a trabalhar. No Norte a iniciar e no Sul a finalizar. A vindima 2014 está a ser mais complicada por termos tido tempo instável com alguma chuva, o que afecta muito a logistica.

Durante a vindima, estamos sempre a recolher muita informação (dados quantitativos e qualitativos) para tomada de decisões. É um processo logístico complexo que envolve igualmente muitas pessoas. Sem um sistema de informação como o Enogestão não seria possível manter uma organização e tomada de decisões tão eficiente.

O fornecimento de informação rápida e sistematizada do Enogestão será uma mais-valia ainda mais visível este ano" Eng.º Vasco Penha Garcia – Coordenador de Enologia


                  



 

 

Voltar